Diferença de cor entre RGB e CMYK


Entenda a diferença entre RGB e CMYK e imprima seu material gráfico com cores perfeitas!

Imagem inline 1

Diferença entre RGB e CMYK? Nas artes gráficas, a cor é um dos elementos mais importantes para provocar emoções e reações. É mais do que a estética de um material gráfico é também uma forma de expressão. “A maneira de como as pessoas reagem às cores é conhecimento essencial para o produtor gráfico. Por propiciarem contrastes, as cores têm o potencial de transmitir muito mais que sensações; elas são capazes de codificar informações. Na produção de um material gráfico as cores é resumido em duas modalidades: RGB e CMYK. Esses dois modos de cor, embora muito conhecidos, ainda são motivo de surpresas. Especialmente quando o designer ou arte finalista  projeta uma cor no computador e na impressão sai bem diferente. 

 

Diferença entre RGB e CMYK: quais são de fato as diferenças? 

Quando projetamos um material gráfico no computador, não passamos tinta na tela, certo? As cores, no monitor, são luzes: ondas eletromagnéticas com variados comprimentos (de 400 a 700 nanômetros). Nessa gama de ondas coloridas, predominam três cores: vermelho (R – red), verde (G – green) e azul-violeta (B – blue), ou seja, RGB. Essas três cores compõem todas as outras e sua soma é a luz branca. Na impressão, porém, as cores projetadas na tela do computador têm que ser reproduzidas com tintas sobre o papel. E aí tudo muda: no papel, a cor branca, ao invés de ser a soma de todas as cores, é a ausência total delas. Deu branco? Então vamos lá: na impressão offset, cada página do material gráfico recebe quatro camadas de cor de tinta. O C (ciano), M (magenta), Y (yellow: amarelo) e K (black key: preto). Esse é o modo de cor chamado, portanto, CMYK no qual o preto é a soma de todas as cores. A tinta utilizada na impressora é composta de pigmentos coloridos e uma base (verniz, plástico ou óleo) que aglutina e fixa os pontinhos de cor no papel. No computador temos pixels, que são os pontos de cor. Na impressora temos pigmentos coloridos.

Conversão de cor
 
E aí começam os problemas de conversão de cor: você cria uma tonalidade linda para sua logomarca/ logotipo, com ótimas fotos e objetos sólidos e, quando vai pegar o material, vê que aquele verde claro saiu escuro, o laranja saiu com cor de romã e o preto das fontes ficou lavado…
Isso acontece porque cada software utilizado para desenhar seu material gráfico trabalha com espaços de cores diferentes. É aí que entra a tecnologia de uma boa gráfica. Ela deve possuir, necessariamente, um sistema confiável de gerenciamento de cores que aproxima o pixel de luz do computador ao pigmento da tinta.Uma foto de natureza, por exemplo, tem um perfil de cor diferente de um material gráfico ou logomarca com preenchimento sólido.
 
 
Salve o arquivo no modo de cor CMYK, e nunca em RGB. 
Escolha um papel com qualidade e gramatura suficiente para garantir que as cores da frente não transpareçam no verso do seu material gráfico. Indicamos sempre a gramatura de 120g para não transparecer no verso do seu material gráfico.
Utilize a paleta de cores para verificar se a frente não está com imagens muito escuras em relação ao verso.
Papéis como o reciclato e o artesanal, como não são brancos, podem gerar alterações de cores e exigem maior cuidado. 
E nas cores? O azul royal e o verde-limão são cores mais complexas na conversão do RGB para o CMYK. Para que na impressão, a cor fique o mais próximo possível do arquivo do seu  material gráfico recomenda que você utilize uma escala de cores padrão CMYK ou Pantone
O preto é outra cor que demanda atenção na impressão offset. No computador em RGB, você pode aplicar um preto 100% em seu material gráfico. Na impressão no entanto, o preto poderá ficar desbotado. Para evitar esse problema de conversão indicamos entre 80% á 90% de preto na escala CMYK.
O preto 100% (C 0%, Y 0%, M 0%, K 100%) deve ser utilizado nos textos, linhas finas e elementos pequenos, pois neles o preto tem um volume muito elevado de tinta. 
Não utilize a composição ( C 100% , M 100%, Y 100%,  K 100%). Esta carga de tinta ultrapassa o limite de absorção dos papéis (320%).
Tomando esses cuidados, você certamente terá um material gráfico com cores fiéis e imagens lindas.
 Esperamos que tenhamos ajudado você a entender a diferença entre RGB e CMYK!
Você pode contar conosco, vamos te ajudar em seu material gráfico!!!
 

Pague com
  • MercadoPago
  • PayPal
  • PagSeguro
Selos

R Gráfica Curitiba - CNPJ: 20.926.117/0001-08 © Todos os direitos reservados. 2017